top of page

Albânia, divertida supresa

Foi uma grande surpresa, mas tínhamos grande expectativas. Uma diversidade incrivel de atrativos, hoteis históricos, aconchegantes e super baratos, culinária que agradou, uma riviera mediterrânea com praias azul turquesa e muita badalação, ou não. De cara, a histórica e patrimônio da Unesco Girokaster e por ali o Blue eye, um fervedouro de águas limpíssimas e geladas. As praias lindas de Ksamil e Dhermi e a badalação em Saranda. A linda Berat e seu castelo, com o melhor hotel de nossa viagem, o Hami i Xhablatit. Alguns bunkers pelo caminho e a capital Tirana para fechar.


Agradecemos a Lalá Rebelo e seu maravilhoso post cujas dicas preciosas seguimos à rigor. Foram 4 noites na Albânia, sim bem corrido, mas deu pra ver o geral que importava. Não conseguimos nos deliciar nas águas cristalinas da riviera albanesa nem fazer passeios de barco, mas conseguimos aproveitar e ter um reconhecimento geral da sua costa e principais praias.


Dia 1 - Girokaster

Patrimônio da Unesco, uma cidade histórica encantadora, com uma fortaleza imponente e lindas vistas do vale, um centrinho pequenino com lojinhas e restaurantes. Gostamos da comida e das sobremesas também, em meio dia exploramos a fortaleza e o centrinho e jantamos por ali.


Dica de hospedagem: Hotel Kodra, como todos os hotéis da Albânia fora do litoral, um custo-benefício incrível. Ótima localização com estacionamento e uma linda vista do nosso quarto, amplo e renovado. O café-da-manhã que podia ser melhorzinho. Vale conferir também o Kalemi que fica do lado.


Dia 2 - Blue Eye e Ksamil


Partimos de Girokaster direto ao Blue Eye, um fervedouro de águas cristalinas e geladas (12o C), que ainda assim fizemos questão de dar um mergulho. Na entrada tem uma longa caminhada, e estava um dia de sol e calor, perfeito para o aquecimento e enfim mergulhar naquelas águas geladas.

De lá partimos para Ksamil fazendo volta pelo parque nacional de Butrint, o qual precisamos pegar uma balsa para chegar lá. Pretendiamos visitar as ruínas, mas o sol estava quente, estávamos de mau-humor, então preferimos seguir direto para curtir a praia em Ksamil, conhecida como uma das melhores da riviera albanesa. Ali tinha também uma fortaleza que e explorada por barco, um passeio que se tivéssemos mais tempo, teríamos encarado.

Nos hospedamos no Mussel House, chalés no restaurante do mesmo nome, mas não achamos um bom custo-benefício para recomendar. Vale a dica do restaurante, que oferece frutos do mar e mexiliões que eles mesmos criam no lago de Butrint que dá um lindo visual ao restaurante. Aliás, as opções de hospedagem não eram muitas, no litoral a Albânia não tem o mesmo charme das hospedagens de Girokaster e Berat. Talvez em Dhermi, onde não pernoitamos.

As praias de Ksamil são realmente interesantes por estarem em uma baia protegida por pequenas ilhas. Ao fundo a ilha grega de Corfu. Não conseguimos presenciar àquelas águas cristalinas, pois o vento estava forte e o mar bem mexido, a água estava turva, e o mais decepcionante, os parques infláveis, ainda mais gigantescos que os da Grécia estavam inoperantes por causa do vento. Mas ainda assim curtimos bem a praia e almoçamos por ali em um dos badalados restaurantes.

A noite curtimos a badala Saranda, estava uma linda noite e caminhamos por todo o calçadão com direito a parquinho e bate-bate no final.


Dia 3 - Himare, Dhermi e Berat

Era o dia de explorar a costa albanesa e foi o primeiro dia de toda a viagem que o tempo virou e choveu, azar hein? Mas não tanto, a previsão do tempo parecia tenebrosa mas a tarde o sol foi saindo e ficou, conseguimos até dar um bom mergulho na praia de Drymades em Dhermi. Passamos por locais interessantes, uma paradinha rápida em Himare e seguimos para Dhermi onde almoçamos por lá. Depois de aproveitar a praia, pegamos o zig-zag e apreciamos a vista incrivel da estrada que nos levaria a Berat. Uma parada rápida em um panorama para registro do visual.


Chegamos em Berat no fim do dia, para apreciar o fim de tarde da varanda do nosso magnífico hotel, sendo recepcionados com chá e frutas, para depois um passeio pelo calçadão para o jantar.


Dica de hospedagem: Hami i Xhablatit, por apenas 76 euros a diária do quarto quádruplo, uma pousada histórica e acolhedora bem nas vielas do bairro Mangalem, com vista ao vale da cidade. E vagas de estacionamento reservadas na rua e um café-da-manhã delicioso. Foi o top da viagem.


Dia 4 - Berat e Tirana

Berat também é uma importante cidade histórica, patrimônio da Unesco, a cidade das 1000 janelas. Subimos pelas vielas do bairro de Mangalem até chegarmos ao castelo. Exploramos tudo por ali e encontramos uma trilha de descida para fechar o passeio por Berat e partir para Tirana.

Pela rota tivemos que passar por Dhurres, outra importante cidade no litoral, mas sem muitos atrativos, onde almoçamos.

Chegamos em Tirana ao fim da tarde em tempo para explorar a cidade, rodar por suas ruas e sentir a sua vibe. Curtimos e nos divertimos pelas ruas de Tirana. Jantamos num shopping aberto bem badalado, o castelo de Tirana.

Dica de hospedagem: Hotel Livia, muito bem localizado no centro de Tirana e com o essencial para garantir o nosso valioso custo-benefício, 64 euros o quarto quádruplo.




Albânia o país dos bunkers, espalhados por todo o país a brincadeira era encontrá-los, a maioria deles hoje felizmente se tornaram emojis.


Comentários


bottom of page