top of page

Chapada dos Veadeiros e Brasília

Aproveitamos um feriado de quatro dias para ir até a Chapada dos Veadeiros que fica lá no cerrado. Um oásis cheio de águas em meio a secura do inverno em Goiás. Voamos para Brasilia, era 7 de Setembro, adoraríamos ter podido ver um desfile comemorando a independência do nosso Brasil, mas o momento político, sanitário conturbado que estamos vivendo nos privou deste momento de celebração. Deu apenas para visitar alguns pontos importantes de Brasília, em companhia das primas Valentina e Vivian que moram em Brasilia. Fomos a Esplanada dos Ministérios, a Praça dos Três Poderes e por do sol e jantar no Pontal, lá no lago Paranoá

Confere o antes & depois da nossa visita anterior a Brasilia. Estivemos por aqui em um semana santa e fomos até Pirenópolis


DIA 1 no Cerrado - Cachoeira das Almécegas I e II


E então fugimos para o mato, que apreciamos muito. A Chapada tem diversos atrativos, principalmente cachoeiras de todos os tipos e portes, águas escuras ou cristalinas, cânions, além do astral da cidade de Alto Paraíso de Goiás, a vila de São Jorge e Cavalcante, que não visitamos desta vez, que compõem o roteiro de hospedagem e exploração por lá.


A Chapada estava simplesmente LOTADA, com o sossego da pandemia, as pessoas resolveram viajar, até nossas primas também sairam de casa para viajar, para nossa alegria e diversão.


Ah, bom lembrar, nós planejamos esta viagem pelo blog parceiro do Melhores Destinos


Depois de quase 3 horas de estrada de Brasília a Alto Paraíso de Goiás, chegamos direto para a cachoeira da Almécegas e para nossa primeira surpresa, as cachoeiras por aqui são pagas por estarem a maioria delas em propriedade privada, e muito bem pagas, caríssimas! E o circuito da Almécegas I e II mais a São Bento (que não visitamos) custava 70 reais por adulto (criança acima de 10 paga).


Almoçamos por ali na entrada da cachoeira, já curtindo a música e ambiente da Chapada. E depois partimos para muita curtição e saltos e girinos na Almécegas II.



Dali fomos para a Almécegas I, uma trilha de 1km fácil e um cânion e paredão lindos.


Ali ficamos até o por-do sol para testemunhar a beleza do por do sol no cerrado.


A noite em Alto Paraiso jantamos no Art Paradise café, uma delicia, aliás, a cidade tem ótimas opções gastronômicas, vale conferir o Vinil Bistrô, o Café com Graça, o Benzim e ai vai... O Coisas da Drica vale mais pelo ambiente e tortas doces, pois o tamanho da porção do risoto ficou a desejar.


Você sabia que existem alienígenas por aqui? Eles quase levaram a Valê!




DIA 2 no Cerrado - Catarata dos Couros


Mais de 30 km de estrada de barro, mas felizmente a estrada estava um tapete. A Cachoeira esta para virar um parque estadual, enquanto isto não acontece, o acesso não é pago, a trilha é fácil e é um passeio de um dia para percorrer o Rio dos Couros e suas quedas dágua desde a cachoeira da muralha. Na primeira cachoeira tivemos a companhia das primas menores e foi super divertido. Depois seguimos descendo o rio apresciando diversos visuais e deliciosos poços para banho.

DIA 3 no Cerrado - Vale da Lua e Restaurante na Mata


Seguimos em direção a vila de São Jorge, ali perto fica o Vale da Lua, um dos cartões postais da chapada.

Sensacional isso! De lá fomos para o Restuarante na Mata, um local bacanérrimo literalmente na Mata, super caro, mas muito gostoso e o banho de rio uma delícia!


Antes de voltar pra casa, fomos comer um banoffee gostoso na Iluminarte em São Jorge e saimos correndo de lá para poder registrar o belíssimo por do sol no Jardim da Maytrea.





DIA 4, último no Cerrado - Loquinhas


Uma sequência de poços cristalinos ali a 5km de Alto Paraíso, mas em uma estrada péssima. Estava bem cheio e todo espaço para banho disputado, mas ainda sim valeu a pena (40 reais a entrada). Depois estrada para Brasilia e voltar para Sampa!



Comentarios


bottom of page