top of page

Curtindo o frio da Serra Catarinense

Concluido o nosso pedal pelo vale Europeu é hora de voltar para a estrada de carro. Vamos subir a serra em busca de temperaturas geladas. É na serra Catarinense que faz mais frio no Brasil e em alguns anos chega a nevar. Será que teremos o pé frio para ver a neve?


Saindo do vale, deixamos o rio Itajai-Açu para trás e começamos a avistar a paisagem serrana. Primeira parada em Urubici, uma cidade ampla, mas sem muitos atrativos em plena pandemia. Um ponto interessante para usar como base para para explorar alguns atrativos da serra, como o morro da pedra furada que não conseguimos visitar pois estava fechado devido a pandemia.


Mas a primeira atração foi a serra do Corvo Branco, como havia nos sugerido o Alexandre, nosso guia do cicloturismo, o ideal é chegar na serra Catarinense subindo a Serra do Corvo Branco e depois descer a do Rio do Rastro. Nós chegamos por cima, então tivemos que experimentar descer um pouco a Serra do Corvo Branco e subir, pois era um visual incrível!



Na sequência partimos para o outro lado, hora de ver o por-do-sol no melhor point da serra, o Morro do Campestre. Um lugar muito bacana para subir as pedras e apreciar o visual do entardecer, estava tão legal, que até rolou uma certa aglomeração.


A noite cai, hora de partir para o nosso chalezinho serrano na pousada simples e aconchegante da Vó Bi. Um chalézinho com detalhes suficientes para encantar a nós duas, mas ninguém esperava o frio que viria no dia seguinte.


Ao acordar, cedindho, o frio de rachar nos esperava, o termômetro havia batido 6 graus negativos na madrugada e agora pela manhã estávamos com -3. Pisar pela grama nos fazia sentir o croc-croc do gelo. Partimos então em direção a São Joaquim, e no caminho paramos para apreciar o visual e visitar a cachoeira do Avencal.

Fizemos um rápido tour pela cidade de São Joaquim, que tem seu charme de cidadezinha do frio de serra.

E seguimos para o Snow Valley, um restaurante radical, onde fizemos uma caminhada pelo vale, uma tirolesa e almoçamos bem gostoso. O local vale a visita!


Chegamos então ao nosso hotel fazenda Rota dos Cânions em Bom Jardim da Serra.

A expectativa era alta para uma boa cavalgada, mas uma noite fria e estrelada pediu uma fogueira com marshmallows e um novo amigo, o Lucas. No dia seguinta a gostosa cavalgada para Marina perder o seu medo do cavalo, teve a companhia do Lucas.


Hora de dar adeus aos cavalos e seguir viagem. Vamos descer a serra rumo ao litoral catarinense pela famosa serra do Rio do Rastro e lá encontramos uns animaizinhos interessantes, os guaxinins!


Veja a próxima etapa da nossa viagem de carro por Santa Catarina no próximo capítulo do litoral Catarinense.



Comments


bottom of page